ANUNCIE NO GUIA TÊXTIL
Mais de 30 mil empresas já estão
no Guia Têxtil, e a sua?

SAIBA MAIS SOBRE O GUIA TÊXTIL
ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Digite seu nome Digite seu telefone Digite sua cidade

Seu email foi enviado com sucesso!

Brasil tem potencial oculto no setor têxtil, de acordo com especialista da área

O diretor geral da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) e vice-presidente do Conselho de Administração da Associação Seletiva de Moda, Paulo Vaz, é um dos palestrantes do Febratex Summit, que ocorre nos dias 6 e 7 de novembro, em Blumenau. Para o especialista, “a indústria têxtil brasileira continua a ser uma das mais importantes do planeta, pela sua escala e pela sua diversidade, possuindo empresas de referência e dimensão internacional. Tem, contudo, um potencial oculto, que a maioria do mundo desconhece, pela simples razão de que não é exportadora e não está internacionalizada”.

Vaz compara as dimensões entre Brasil e Portugal e aponta o descompasso da indústria têxtil nacional. “Por incrível que pareça, a indústria têxtil e do vestuário brasileira exporta menos que a portuguesa, sendo que Portugal tem 5% da população do Brasil. Há alguma disfunção nesta realidade, que se torna incompreensível”, destaca.

Para o especialista, há a percepção de que “a indústria têxtil brasileira esteve quase sempre mais concentrada em se proteger do exterior do que em realizar os investimentos necessários para o aumento da sua competitividade, inovação e internacionalização”. De acordo com Vaz, dessa forma, “faixas importantes da indústria têxtil brasileira, ao abrigo de políticas públicas protecionistas, perderiam muita competitividade e, em caso de concorrência aberta com outros exportadores mundiais, ficariam seriamente debilitadas”. 

Pontos positivos

Vaz sugere que o Brasil explore dois ativos importantes. “O ‘lifestyle’ brasileiro, bem visto no mundo, associado à beleza, ao desporto e à natureza, que pode diferenciar positivamente os produtos e é um patrimônio, uma marca por desenvolver; e o segundo, a sustentabilidade, conjugada com o fato de o Brasil ter no seu território a Amazônia e o Pantanal, entre outras reservas, que podem legitimar ainda mais a indústria na sua ligação à proteção ambiental e à economia circular, temas que são cada vez mais bem acolhidos pelos consumidores”, aponta.

Brasil e Portugal 

Paulo Vaz explica como a indústria têxtil portuguesa pode auxiliar o Brasil, baseada na sua capacidade de transformar as dificuldades em forças e as ameaças em oportunidades. “Para poder sobreviver aos choques competitivos que a primeira década deste século lhe colocou, a indústria têxtil portuguesa teve que abandonar a competição baseada no preço e passar para a competição baseada no valor, apostando na incorporação de inovação tecnológica e design para diferenciar os seus produtos nos mercados internacionais, ganhando segmentos de compra ainda mais valorizados”, destaca.

O especialista conta que a indústria portuguesa também intensificou o serviço agregado, deixando de ser “simples tomadora de encomendas para passar a ser ativa prestadora de soluções orientadas ao cliente, inventando o moderno ‘private label’ na indústria têxtil global”. Vaz descreve que, por este modelo, “as empresas oferecem uma grande variedade de serviços aos clientes, desde a concepção da coleção, o design, o desenvolvimento de novos materiais e produtos, a excelência produtiva e a logística sofisticada, deixando as marcas trabalharem o seu ‘core’, que é a comunicação, o marketing, os canais de venda e o ponto de venda relacional com o consumidor final”. 

Desafios e Oportunidades

O principal desafio da indústria têxtil mundial, na opinião de Vaz, está na sua “reinvenção para poder corresponder a um novo paradigma de consumo mais responsável, que exige, simultaneamente, facilidade ou comodidade no acesso, rapidez na entrega, preço acessível, estética atrativa, respeito pelos valores da sustentabilidade – ambiental e social -, e inovação tecnológica, no produto, no processo, na comunicação e na logística”. 

Por outro lado, Vaz comenta que “as maiores oportunidades estarão nos têxteis técnicos, ou de alta tecnicidade, assim como na economia circular, no domínio da sustentabilidade e nos negócios que usem as plataformas digitais de forma inovadora”.

Sobre o palestrante

Com Licenciatura em Direito pela Universidade Católica do Porto e especialização em Direito Econômico e do Trabalho, e Doutorando pela Universidade do Minho, Paulo Vaz é Diretor-Geral da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal e Vice-presidente do Conselho de Administração da “Associação Seletiva de Moda”. Co-autor e autor de diversos livros com temas voltados ao setor têxtil, é também editor do Jornal “T”, um veículo de comunicação especializado nos temas do Têxtil, vestuário e Moda.

Febratex Summit

O Febratex Summit será um fórum de conhecimento que reunirá os principais líderes do mercado têxtil nacional e internacional, tem como propósito promover o conhecimento, apresentar tecnologias, indicar caminhos para a digitalização da indústria têxtil brasileira e torná-la ainda mais competitiva no mercado globalizado.

O evento apresentará cases de sucesso divididos em três trilhas de conteúdo: Inovação, Business e Sustentabilidade, com palestras, painéis e exposição de startups com soluções para o setor têxtil. Com mais de 25 convidados renomados da área têxtil, dez internacionais, os participantes terão a oportunidade de conhecer novas ideias e modelos de negócio, ter contato com tecnologia e conhecimento científico na era da digitalização. 

Além de Paulo Vaz, o evento reunirá grandes nomes como Francesco Marchi, Ana Tavares, da Tintex; Manuel Pizarro e Vasco Pizarro, da Pizarro S.A; Miguel Pedrosa, da Pedrosa & Rodrigues SA; comendador José Manuel Ferreira, da Valerius Group; Braz Costa, da Citeve; e Stéphan Verin, da UP-TEX.

Os ingressos são limitados e já estão à venda no site febratexsummit.com.br.

Apoio e patrocinadores

Lojas Renner e Silmaq são Patrocinadoras Premium. A Epson é Patrocinadora Advanced, e Lectra, Golden Technology, SPGPrints e Cia Hering, Patrocinadoras Target. Color Química do Brasil e TNS são empresas parceiras. O evento também é apoiado por: Sintex, Fundação Hering, SCMC, ABVTEX, ATP (Associação Têxtil Portuguesa), Instituto-E, Cordontextil, Fashion Innovation Bureau, OAB-SP, Sinvest, Abimaq, Abit, ABTT, SindRoupas CE, Sindconfecções CE, Sinditêxtil CE, ASCAP, ACIT e ACIC.

Agenda Febratex Summit

Data: 06 e 07 de novembro de 2019

Horário: das 9h às 19h

Local: Parque Vila Germânica, Blumenau/SC

Ingressos: febratexsummit.com.br

Voltar